19 de novembro de 2014

Avaliação – VW up! Black i-motion 2014



Vendido desde 2012 no mercado europeu, o VW up! conta com uma vasta lista de argumentos positivos, principalmente quando o assunto é a segurança. Vale lembrar que o VW up! foi o modelo que atingiu a melhor classificação no índice de reparabilidade do CESVI Brasil, entre todos os carros avaliados pelo instituto. No Brasil, o novo hacth compacto alemão chegou para ajudar a mostrar um novo conceito em veículos compactos.  

Na saída da VW em São B. do Campo, já foi possível notar a eficiência do “moderno e pequeno” motor 1.0 de três cilindros (8cv etanol / 75cv gasolina) em conjunto com o câmbio i-motion de 5 velocidades, que possui a opção do condutor utilizar o modo automatizado ou manual. Na estrada, retornando para a redação comecei a observar média de consumo na casa de 28 Km/l na estrada e no trecho urbano cerca de 19 Km/l . Esse acompanhamento do consumo pode ser feito pela central de multimídia instalada na parte central do painel, na qual você também consegue acompanhar através de um gráfico, como estão sendo feitas as trocas de marchas e aceleração do motor.

O rodar do carro é bom e mostrou ser firme nas curvas. A suspenção foi recalibrada para o Brasil, tendo uma melhor ergonomia para o solo brasileiro e mais macia, Mesmo o carro tendo um entre-eixo curto, os ocupantes não sentem muito o atrito com o solo, principalmente em terrenos mais acidentados.

Por dentro o acabamento é espartano e possui material de qualidade. Outro ponto forte é o  isolamento acústico e quase não se houve os ruídos externos. A posição de guiar é fácil de ser ajustada e o condutor fica bem próximo dos principais comandos como: ar-condicionado, rádio e multimídia, facilitando o manuseio.  

Na hora de andar pelo centro das grandes cidades, O VW up! mostrou ser ágil, por ter plano de visão amplo e com poucos pontos cegos na carroceria, facilita a vida condutor. Para quem vai atrás, o espaço interno é um pouco limitado, mas com pequenos ajustes no banco do motorista e passageiro é possível ter um espaço bom para viajar. Falando em viajar, o porta-malas possui 2 estágios de armazenamento de bagagem/carga e chega até um total de 285 litros.  

Quanto ao preço, a versão avaliamos foi a “Black” e custa em torno de R$ 42.500,00 e vêm equipada de fábrica com air-bag duplo, ABS, ar-condicionado, bancos em couro, trave elétrica, central de multimídia, computador de bordo, rádio MP3 com entrada auxiliar, rodas aro 16” e faróis de neblina. Para o consumidor que  busca um carro com bom custo/beneficio, alinhado com tecnologia e diversidade de combinações de acabamento que o carro oferece, o hacth compacto está mais que aprovado.

Fotos: Fernando A. De Gennaro













Avaliação – JAC Motors J3 S Turin JET Flex 1.5 VVT 2014





Apresentando no início de 2011, ano em que a JAC Motors começou sua atividades no Brasil, o mercado brasileiro recepcionou muito bem J3, por ter uma combinação de linhas atraentes e harmoniosas. Recentemente tanto a versão sedan quanto a hatch passarem por um leve face-lift na dianteira que conta com uma nova grade e Pará-choque e na versão sedan conta com novas lanternas na parte traseira. Outra novidade que a marca chinesa estava sendo preparada há algum tempo era a motorização bicombustível, para a versão sedan, no qual anteriormente era disponível somente para a versão hacth.

A motorização foi calibrada em conjunto entre os engenheiros da JAC Motors e da Delphi, tanto na China quando no Brasil. O resultado desta parceria foi à eliminação de um inconveniente: o tanque de gasolina para partida a frio. O motor 1.5 possui 125 cv a gasolina e 127 cv com etanol, ambos a 6000 rpm.

Na parte interna o J3 S Turin recebeu diversas alterações e características que deixam claras as intenções da família  JET Flex. Tanto o hacth como o sedan ganharam costura do volante, bancos, coifa do cambio e toda a iluminação do painel em cor vermelha, novos pedais e soleiras. Como já é tradicional na marca os modelos vem completos: com direção hidráulica, ar-condicionado, CD MP3 player com mini-USB, sensor de estacionamento, volante revestido em couro com comandos multi-função e regulagem de altura, porta-revistas, porta-copos, chave canivete com destravamento remoto das portas, alarme antifurto, bancos em Black Fabric com ajuste do apoio de cabeça, tomada de 12 volts, luz de leitura e mais uma boa lista de itens de série.

O conforto do modelo se encontra em sua suspensão dianteira independente, tipo McPherson com molas helicoidais; e suspensão traseira independente, tipo Dual Link também com molas helicoidais. O modelo mostrou muita disposição, com boas acelerações e baixo nível de ruído, mostrando um bom acerto no conjunto motor/câmbio com relações bem escalonadas Além disso, há também a segurança de seus freios ABS com EBD e seu airbag duplo. Com pneus 185/60 R15, as rodas em liga de alumínio de 15″ estão disponíveis em diversos modelos ao gosto do consumidor.

Fotos: Fernando A. De Gennaro









16 de outubro de 2014

Flagra - Lamborghini

Nosso amigo e co-piloto Biagio flagrou três unidades da Lamborghini Huracán LP610-4 desembarcando de madrugada no Aeroporto de Pinhais, no Paraná. Provavelmente os veículos devem ter vindo especialmente para o Salão do Automóvel que começa na próxima semana.

Foto: Biagio


26 de setembro de 2014

Lançamento - Mahindra M.O.V. 2015



 
A Mahindra Brasil apresentou ontem (25/09) em um coquetel para convidados e imprensa a sua nova novidade para o mercado nacional, a Mahindra M.O.V. 2015  (Mahindra Offroad Vehicle). Trata-se de um produto que vai de encontro com aqueles que procuram um veículo versátil, capaz de superar os desafios das pistas off-road. Equipada com eficiente motor Diesel 2.2 16V Turbo que desenvolve 120 HP, câmbio manual de 5 marchas e tração 4X4, o modelo já está disponível para venda, custando cerca de  R$97.900.
 
Conforme pronunciamento de Alvaro Julio Sandre, diretor comercial da marca no Brasil,  a Mahindra M.O.V. foi um veículo projetado para ser utilizado no dia a dia e no lazer em família e que apresenta uma proposta diferenciada, é o único de sete lugares da categoria. Entre os itens de série do utilitário estão presentes: ar-condicionado, freios ABS, retrovisores elétricos e cruise control. Em breve estaremos realizando uma avaliação completa com este novo modelo.
 
Fotos: Fernando A. De Gennaro
Evento a convite da Mahindra Brasil
 
 
Alvaro Julio Sandre, diretor da Mahindra Brasil falando sobre o lançamento
 
 
 
 
 

Avaliação - Mahindra Pik-Up 4X2 Cabine Simples 2014

 
Valente para enfrentar grandes obstáculos e confortável para dirigir. Estes foram alguns dos aspectos que notei ao retirar a Mahindra Pik-Up 4X2 Cabine Simples na concessionária da marca em São Paulo-SP. Os veículos da Mahindra são montados pela Bramont, em Manaus, desde 2007, com alta tecnologia e qualidade. 
 
Seja para ser utilizada no trabalho ou no uso urbano, encontramos bons requisitos sobre o produto de origem Indiana. Entre eles está a posição de guiar,  bastar fazer alguns ajustes no banco e na direção para você se esquecer que está a bordo de uma picape grande.  Com boa estabilidade nas curvas, a picape conta com uma suspensão ajustada e macia, mesmo quando seu uso é fora das estradas, nos terrenos mais acidentados.
 
Equipada com motor Diesel 2.2 16V Turbo que desenvolve 120 HP,  ela mostrou ser eficiente, além do motor ter um baixo ruído e bom acerto de torque. O câmbio manual de 5 marchas possui engates precisos graças ao acionamento hidráulico do pedal de embreagem. A média de consumo ficou próximo a 13 km/litro entre cidade/estrada. Com relação a capacidade de carga ela pode levar até 1.500 kg e o cliente tem a opção de instalar a carroceria de baú ou utilizar a caçamba de madeira, como estava no modelo em que avaliamos. 
 
De fábrica ela vem equipada com vidros elétricos, rádio com entrada USB, ar-condicionado, direção hidráulica e alarme. No requisito de segurança a picape já se enquadra na nova Legislação de Segurança de Trânsito do Brasil, saindo de fábrica com air-bag duplo e ABS. Outro ponto interessante é o preço. Custando cerca de R$ 65.000 mil é possível comprar a versão cabine simples sem a caçamba. Quem optar pela cabine dupla o valor é por volta de R$ 81.500. A Mahindra oferece garantia de 3 anos ou 100.000 kms para seus veículos.
 
A empresa indiana, que hoje atinge USD 16,7 bilhões em vendas, está presente também em diversos setores, além do automotivo, como o da tecnologia da informação, infra-estrutura, comércio e equipamentos agrícolas que no Brasil também atua fortemente no segmento de tratores, junto a Bramont.
 
Fotos: Fernando A. De Gennaro
Veículo cedido gentilmente pela Mahindra Brasil para a avaliação.
 
 
 









 

22 de setembro de 2014

Avaliação – JAC J6 2.0 16V 2014

Havia um bom tempo que eu não dirigia no Brasil uma minivan com um espaço interno grande e que oferece uma boa dose de conforto. Poder testar o JAC Motors J6 seria uma experiência muito agradável. Saindo do escritório da JAC Motors na Vila Leopoldina, em São Paulo-SP, logo procurei me habituar ao veículo, como de praxe.

Os bancos possuem uma posição alta e com ampla visão de tudo que esta acontecendo na sua frente. Já a posição da direção fica um pouco elevada dependendo da altura do motorista, mas basta acertar os ajustes que tudo se acerta com facilidade. A suspensão é macia e com poucos solavancos. Após pegar a Rodovia dos Bandeirantes para retornar a redação, percebi outro ponto forte da minivan Chinesa, à dirigibilidade na estrada, principalmente mostrando ser um carro firme nas curvas, situação que hoje dificilmente encontramos em outras grandes marcas que também possuem minivans.

Na parte mecânica o J6 está equipada com motor 2.0 16V que desenvolve 136cv de potência, que trabalha em conjunto com o câmbio manual de 5 velocidades. De série vale ressaltar que o modelo já vem com: airbag duplo, freios ABS com EBD (controle de estabilidade), ar condicionado digital, direção hidráulica, sistema de som com USB, portas com travamento automático e sensor de estacionamento, retrovisores e vidros com acionamento elétrico. Como opcional estão disponíveis barras no teto e o sistema de DVD acoplado.

Durante os sete dias que avaliamos o J6 percorremos pouco mais de 1.000 KMs. Nesse tempo avaliamos bem o espaço interno e a capacidade de transportar pessoas e bagagens. A minivan mede pouco mais de 4.55 metros, sabemos que espaço é o que não falta no JAC J6. Sua capacidade de carga é de 710 litros no porta malas, que pode ser ampliado para até 2.200 litros com os bancos rebatidos. O J6 é um veículo Ideal para a pessoa que possui uma grande família, que precisa espaçoso e levar muita “tralha”.

Acho interessante observar, principalmente no transito ou quando você para o carro no farol (sinal de trânsito), as pessoas olhando e procurando saber que minivan é. Lembro da situação de estar parado, em frente uma sorveteria na cidade de Vinhedo (SP) e quando estava saindo do veículo um senhor me abordou perguntando que marca era a minivan, pois ele havia gostado, principalmente do desenho do carro. Comentei com ele sobre o design harmonioso e moderno, pois poucas pessoas sabem, mas o renomado estúdio de design italiano, Pininfarina, no qual tive o privilégio de conhecer, foi que projetou e criou os desenhos da marca JAC Motors, que atualmente passaram por um leve face-lifth.

Seu preço parte de R$ 60.590, para a versão com capacidade para até 5 passageiros, por esse valor ela vem com ar-condicionado digital, direção hidráulica, airbag duplo, freios ABS, rodas de 16 polegadas e rádio com CD player com porta USB entre outros itens. Enquanto que a versão Diamond de sete lugares chega custando R$ 62.590, e possui bancos intermediários e traseiros individuais, rebatíveis e removíveis, farol de neblina, farol com regulagem elétrica de altura, rodas de liga leve, suspensão traseira dual link, sensor de estacionamento, freios ABS com EBD. Entre seus principais concorrentes estão o Nissan Livina, que parte de R$ 46.290 na versão de entrada com motor 1.6 e chega a R$ 52.090 na versão 2.0 completa. E o Chevrolet Spin, que parte de R$ 49.890, na versão LT e pode custar até R$ 59.790 na LTZ..
 
Fotos: Fernando A. De Gennaro
 
 
 
 
 
 

21 de julho de 2014

Muita emoção na 4º Etapa da Mitsubishi Lancer Cup

 

 

Diferente das provas anteriores, as duas baterias realizadas, uma de manhã e a outra a tarde, tiveram muitos “pegas” e disputas acirradas, levando ao publico presente muita emoção. Logo de manhã, no treino classificatório, Elias Jr, bateu o recorde do Lancer no Velo Città com 1:44.086,  e para completar ele venceu de ponta a ponta a primeira bateria, sem dar chance aos adversários. "A prova foi muito boa. Consegui fugir das confusões, o segundo e terceiro colocados começaram a disputar a posição e abri boa vantagem", comemorou o piloto.
 
Sérgio Alves e Bruno Mesquita completaram o pódio. Seguindo o protocolo, a segunda prova o grid é invertido e Elias Jr. largou na oitava posição. Após algumas voltas, infelizmente ele precisou abandonar, após uma colisão com outro competidor. Depois de 25 minutos de prova, o primeiro a cruzar a linha de chegada foi Paulo Pomelli, da categoria Lancer RS Master, destinada a pilotos com mais de 45 anos. Por conta disso, o primeiro lugar na Lancer RS foi de Sergio Alves, que segue na liderança do campeonato. E para fechar com chave de ouro na Lancer R, Fernando Ewerton fez a dobradinha, venceu as duas etapas e disparou no campeonato. O piloto tem agora 197 pontos, contra 160 de Luiz Santiago e 159 de Eduardo Viscardi. Seu irmão, Felipe, se aproxima do terceiro colocado e agora tem 153 pontos.
 
Vale lembrar que nesta etapa da Lancer Cup, ocorreram duas estreias, com os pilotos Cristian Germano e Marcio Bassi.  A quinta etapa da Mitsubishi Lancer Cup, Fun Day e do Lancer Evo Day será realizada no dia 16 de agosto, no autódromo Velo Città, em Mogi Guaçu (SP). Queremos deixar aqui um abraço para toda a equipe Mitsubishi, em especial para Thiago Padovanni, Ingo Hoffmann, Eric Darwich e Cesar Urnhani. Parabéns pela organização deste incrível evento.

*Evento a convite MMC do Brasil
*Fotos: Mariana Zavarizi / Fernando A. De Gennaro





 
 
 
 


 
Ingo Hoffmann, Eric Darwich e Fernando A. De Gennaro
 
 
Cesar Urnhani e Fernando A. De Gennaro
 

Fernando A. De Gennaro e Thiago Padovanni